Páginas

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Realismo poético

Aos 12 anos Wenders já queria ser pintor e manifestava a obsessão por viagens. Pedalou 100 quilômetros até Amsterdã para ver Rembrandt, Vermeer e Van Gogh nos museus. "Quando somos jovens temos uma capacidade maior de aprender sobre sombras, luz e enquadramento". E de todos, Caspar David Friedrich (1174-1840), com suas paisagens tragicamente românticas, era o seu favorito. "Se eu tivesse nascido há 150 anos teria sido um viajante que registraria suas impressões em aquarelas". Inspirado em Friedrich, Wenders gosta de dizer que é um "romântico sem esperança". Inspirado em Edward Hopper (1882-1967), Wenders conclama, com assombro, solidariedade à desolação.

Renata de Almeida e Leon Cakoff

Nenhum comentário: